ACESSOS
72001

 
 
    < Voltar  

CRESCE O ROUBO DE CARCAS NOS RIOS DA AMAZÔNIA

 
       Compartilhe esta matéria em sua linha do tempo!

Nelson Brelaz

As rotas navegáveis nos rios da Amazônia, estão se tornando cada vez mais perigosas para quem navega transportando carga e até mesmo passageiros.

Os piratas atacam as embarcações em pontos isolados e conseguem fugir sem serem molestados. Os aquaviários andam desarmados e são obrigados a passar momentos de desespero e terror nas mãos dos bandidos.

Na região de Belém, mais precisamente no conhecido Furo do Capim, na madrugada da noite de quinta para sexta feira, um comboio de balsa da empresa Bertolini, TBL 84, foi atacado por mais de 100 piratas que usando 50 pequenas embarcações durante uma ação que teve a participação inclusive de quase toda a comunidade das proximidades, quase toda a carga foi roubada. A polícia fluvial do Pará conseguiu chegar ao local 5 horas depois do ocorrido.

Os tripulantes do comboio ainda tentaram intimidar os ladrões, disparando três tiros para o alto, mas foram avisados para que não reagissem sob pena de serem mortos e que os ladrões queriam somente a carga.

Ladrões no Rio Madeira

No Rio Madeira às 14h de ontem, 8, outra ação dos ladrões, ocorreu quando a balsa Michelle, inscrição 0030050421 e o empurrador Dragão, inscrição 4830105160, quando navegada no Rio Igapó Açu, foram atacados pelos ladrões que tomaram a embarcação seguindo sentido do Rio Madeira, sem deixar nenhum vestígio.

Apesar de os crimes terem ocorrido nos Rios, a Marinha não tem competência para agir diretamente, podendo somente se colocar a disposição da Policia Civil com lanchas e pessoal, sendo que a total competência quanto a investigação e prisão dos ladrões e da Polícia Civil.

Os aquaviários reclamam uma tomada de decisão firme por parte das autoridades competentes, uma vez que se não houver um controle rígido para esse tipo de ação cidades da Amazônia correm risco de ficar desabastecidas. Nos rios Madeira e Solimões, no Amazonas os ladrões estão roubando de tudo, petróleo, cargas em geral e até passageiros que viajam nos chamados “barcos de linha”.

Comaprtilhe esta matéria em sua linha do tempo!
Comentário:
      Comentário:
      E-mail:
      Senha:
                           Cadastrar-se para comentar
  Comentários de usuários cadastrados »

Não há comentários nesta matéria. Seja o primeiro a comentar, cadrastre-se!